Há duas semanas, toda segunda-feira, temos publicado um texto aqui no nosso Blog sobre Como se Tornar um Treinador de Futebol no Brasil? Hoje continuaremos tentando esclarecer mais alguns pontos sobre esse tema, porém, dessa vez, falaremos sobre a Formação de Treinadores no nosso país vizinho a Argentina.

É sabido que a Escola Argentina de Formação de Treinadores é uma referência em nível mundial e tem sido um caminho para muitos brasileiros que querem se tornar Treinadores de Futebol, como o caso do jogador Kléber Gladiador quem iniciou o curso da Federação Argentina ainda em 2016 (Munhos, 2016). Assim, tentaremos entender algumas questões como: Quem é o responsável por ministrar os cursos de Treinadores na Argentina? Quais são os requisitos para realizá-los? Como a escola Argentina se tornou uma referência no mundo? Etc.

Então vamos ao texto, boa leitura a todos!

A Associação de Futebol da Argentina (AFA) é o órgão máximo do futebol no país vizinho, sendo quem regulamenta o futebol na Argentina e organiza as competições em nível nacional (Estatuto, 2020).

Sobre a Formação de Treinadores, a AFA possui no seu Regulamento Geral (2011) um capítulo chamado “Escola Técnica, Treinadores, Preparadores Físicos, Médicos e Kinesiologos”, onde no Art. 181° diz que:

“A AFA contará com uma Escola Técnica que estará a cargo de um Diretor e o Corpo de Professores que se considerem necessários para o melhor cumprimento de suas finalidades, todos os quais serão designados pelo Comitê Executivo.

A Escola Técnica tem por objetivo ministrar cursos para a formação de Treinadores e cuidar da informação e atualização dos conhecimentos técnicos de ditos Treinadores (...).”

O mesmo Art.181°, ressalta as Funções da Escola Técnica, das quais destacamos:

“a) Projetar a regulamentação sobre organização e funcionamento dos distintos cursos, fixando seu caráter, duração e destino, bem como também estabelecer as condições de ingresso, exigências para a graduação e/ou participação, e submetê-la a aprovação do Comitê Executivo;

b) Discriminar os respectivos planos de estudo e programar os recursos de extensão e assistência técnica;

c) Decidir sobre a validade e autorização dos títulos emitidos e/ou reconhecidos por Ligas afiliadas do interior do país ou por outras Associações Nacionais afiliadas a FIFA, que apresentem os interessados para exercer funções nos clubes diretamente afiliados.”

Com base nesse artigo do Regulamento Geral da AFA, é possível perceber que existe uma escola que é a responsável pela formação de Treinadores na Argentina que se chama Associação de Técnicos do Futebol Argentino (ATFA), além disso, de acordo com o inciso “c”, se percebe que na Argentina existe outras escolas espalhadas pelo país que ministram cursos de treinadores que, posteriormente, são reconhecidos pela ATFA e AFA, o que é muito diferente do Brasil, pois por aqui a realização da formação de Treinadores é de exclusividade da CBF Academy.

Esse fato pode ser facilmente comprovado mediante notícia de 22 de junho de 2020, do Periódico LEA online, que publicou uma notícia de que na província de Jujuy (noroeste da Argentina) havia sido autorizada a abertura de uma escola de Treinadores chamada “César Luis Menotti”, quem cumpriu todos os trâmites e requerimentos de acordo com AFA, Conmebol e ATFA e está plenamente habilitada para que os alunos graduados nela, possam aceder a Licença Nacional de Treinador que emite a Associação, nas mesmas condições que o resto das escolas habilitadas e homologadas do país.

É, também, possível comprovar tal fato através do Art. 183°, inciso 2, do mesmo Regulamento Geral da AFA (2011), que diz que o Treinador poderá possuir título que habilite para exercer a função “Emitido pelas Escolas Técnicas dependentes de Ligas afiliadas ou de Institutos Superiores Nacionais ou Provinciais de Educação Física e Desportos, que oficialmente ministram cursos para a formação de Treinadores (com dois anos de estudos), com equivalência as exigências e condições estabelecidas pela Escola Técnica da AFA (...)”.

Para falar sobre as Licenças da ATFA o senhor Leo Samaja, quem é coordenador dos cursos para treinadores em português e inglês da ATFA, em entrevista em 2018 para o site fmanager.com.br, afirmou sobre as Licenças da ATFA que:

“Os cursos da ATFA são obrigatórios desde 1994 (e existem desde os anos 60). Nenhum treinador pode entrar em campo sem contar com a habilitação. E essa habilitação obrigatoriamente exige um tempo longo de estudo e cobranças. Anteriormente o curso levava dois anos. Atualmente são três anos para alcançar a Licença PRO. Todos iniciam pela primeira Licença (Licença B – realizado junto com a Licença C -) através de 13 meses de curso online e devendo realizar a prova presencial em Buenos Aires de cinco dias. Logo após, com a Licença B em mãos, poderá iniciar a Licença A (12 meses de curso online) e finalmente a Licença PRO (11 meses de curso online). A ATFA não avalia currículos, nem experiência prévia no ambiente do futebol (da mesma forma ocorre na Europa, todos iniciam pelo primeiro degrau). Para chegar à Licença PRO deve-se iniciar pelo primeiro nível obrigatoriamente, sem exceções” (Anjo, 2018).

Nessa resposta, vários pontos ajudam no entendimento quanto à Formação de Treinadores na Argentina, vamos a eles:

1°) Existe e é obrigatório desde pelo menos há 24 anos, sendo que no Brasil, tais cursos e exigências, existem e são obrigatórios há apenas poucos anos, sendo que a exigência de Licença para dirigir na Primeira Divisão do Futebol Brasileiro começou apenas no ano de 2019 (ver Como se tornar um Treinador de Futebol no Brasil? Parte 2 https://www.futebolinterativo.com.br/blog/como-se-tornar-um-treinador-de-futebol-no-brasil-parte-2);

2°) A ATFA permite a realização das Licenças C e B de forma conjunta num período de 13 meses, sendo todo o curso de forma online e apenas a prova final é presencial. No Brasil é impossível realizar duas Licenças juntas, o que eleva os custos e tempo para a realização das mesmas;

3°) Por último, TODOS os aspirantes a ser um Treinador na Argentina necessitam realizar todos os cursos de forma obrigatória, mesmo sendo ex-jogador de futebol, o que aumenta a Credibilidade dos Treinadores Argentinos, pois se sabe que todos tiveram um período mínimo de formação.

O mesmo não ocorre no Brasil, onde por exemplo, o Multi-campeão como Treinador o senhor Renato Gaúcho, foi convidado pela CBF para fazer a Licença Pro em 2018, sem ter as licenças anteriores, e “matou” as duas primeiras aulas para ir à praia e quando apareceu na Granja Comary, disse que teria um trato com a CBF para permanecer apenas duas horas no curso cada dia que comparecesse ao mesmo (globoesporte.com, 2018). Esse pode ser um claro exemplo, de porque a Licença brasileira tem tanta restrição no continente europeu, diferentemente, da Licença argentina.

Ainda sobre as Licenças de Treinadores da Argentina, de acordo com Gomes (2020), todas as Licenças argentinas somadas geram um custo total (sem contar provas presenciais) em torno de 26 mil reais, sendo que as Licenças Brasileiras tem um valor total de R$ 39.740,00. As Licenças argentinas tem como pré-requisito ter mais de 18 anos e ensino médio completo, enquanto no Brasil é preciso ser graduado em Educação Física ou ser ex-jogador profissional. O curso argentino é oferecido em espanhol, português, inglês e japonês, sendo que o curso brasileiro é apenas em português.

A imagem a seguir, reproduzida por Gomes (2020), apresenta números do Centro Internacional de Estudos Esportivos (CIES), sobre o país com maior número de treinadores pelo mundo, considerando 1875 clubes de 128 ligas, onde os 10 primeiros países são:

E aí você gostou desse assunto? Quer saber mais? Conheça mais na nossa página do futebolinterativo.com e, veja também, sobre o nosso curso de Modelo de Jogo! Deixe o seu comentário e não esqueça que já é possível fazer o seu registro no nosso Evento do Profissão Treinador III, entre na página https://profissaotreinador.futebolinterativo.com/ e faça a sua inscrição hoje mesmo, o Evento é gratuito!

REFERÊNCIA

ANJO, Thiago. Entrevista Leo Samaja – ATFA (licenças para treinador na Argentina), 2018. Disponível em: https://www.fmanager.com.br/topic/129784-entrevista-leo-samaja-atfa-licen%C3%A7as-para-treinador-na-argentina/, acessado em 23 de out. de 2020.

Art. 181°. Regulamento Geral, 2011. Disponível em: https://www.afa.com.ar/upload/torneo/Reglamento_General_AFA.pdf, acessado em 24 de out. de 2020.

Art. 183°. Regulamento Geral, 2011. Disponível em: https://www.afa.com.ar/upload/torneo/Reglamento_General_AFA.pdf, acessado em 24 de out. de 2020.

ESTATUTO. Asociación del Fútbol Argentino, 2020. Disponível em: https://www.afa.com.ar/upload/logos/Estatuto%20-%20Desde%202020.05.19.pdf, acessado em 23 de out. de 2020.

Globoesporte.com, 2018. Após faltas, Renato Gaúcho vai a curso da CBF: “Amanhã vão me ver na praia de novo”. Disponível em: https://globoesporte.globo.com/rs/futebol/times/gremio/noticia/apos-matar-aula-por-dois-dias-renato-gaucho-vai-a-curso-da-cbf-para-tirar-licenca.ghtml, acessado em 25 de out. de 2020.

GOMES, Eryck. Como funciona a formação de técnicos na Argentina e no Brasil, 2020. Disponível em: https://esportes.yahoo.com/noticias/como-funciona-a-formacao-de-tecnicos-na-argentina-e-no-brasil-073048251.html?guccounter=1&guce_referrer=aHR0cHM6Ly93d3cuZ29vZ2xlLmNvbS8&guce_referrer_sig=AQAAAEiSngwjg-isVRtuoDqTMOf8o0Rn4qXyeDT4yjJVIDC8ymC8Kzq9UwbeUkVhDW-8OWvPtVjZ_8GtLfofBKbXSOvspQfxM7so7t2OMWwLG8JEfM0D-VRT0BarV3qVSVYfZGdTNPuAEbmK7cFmSZZMWE9GNBtyvyNdlxNuMmI5gP6T, acessado em 24 de out. de 2020.

LEA, Periódico online. La misma está avalada por AFA En Jujuy se podrán estudiar en la escuela de entrenadores: “César Luis Menotti”, 2020. Disponível em: https://www.periodicolea.com.ar/2020/06/22/la-misma-esta-avalada-por-afa-en-jujuy-se-podran-estudiar-en-la-escuela-de-entrenadores-cesar-luis-menotti/, acessado em 23 de out. de 2020.

MUNHOS, Henrique. De olho no futuro: Kléber Gladiador quer ser treinador e faz curso da Federação Argentina, 2016. Disponível em: http://www.espn.com.br/noticia/627614_de-olho-no-futuro-kleber-gladiador-quer-ser-treinador-e-faz-curso-da-federacao-argentina, acessado em 23 de out. de 2020.