Pressão pós perda é uma das possibilidades de ação do momento de transição defensiva no futebol. É uma das grandes heranças do futebol total para o futebol atual. Já a definimos, em outro texto, que você pode conferir clicando aqui (https://www.futebolinterativo.com.br/blog/pressao-alta-x-pressao-pos-perda). Mas o que poucos falam é que há diferentes maneiras de pressionar o rival logo após perder a bola. Hoje irei te contar todas essas possibilidades e dar exemplos práticos de equipes que executam cada uma delas. Fica comigo!

1. Jogadores mais próximo pressionam o portador:

C:\Users\Gabriel\Pictures\pressing20-600x388.png

Aqui, a preocupação é apenas com o jogador que está com a bola, praticamente o time inteiro se preocupa apenas em criar superioridade física em cima de um jogador rival, os outros rivais que não estão com a bola não são levados em consideração; é como se não existissem. Muitas vezes, essa maneira de pressionar acaba em falta, pois é a mais agressiva de todas.

O objetivo deste tipo de execução é retomar a posse de bola o mais rápido possível e o mais próximo de onde ela foi perdida. De modo geral, esse tipo de pressão pós perda é mais realizado por equipes que possuem um ataque classificado como rápido, pois a lógica desta maneira de atacar é chegar com o mínimo de tempo possível até a área de finalização e tendo a bola de volta logo e ainda no campo de ataque facilita muito esse trabalho. Equipes alemãs e o Liverpool (que também é treinado por um alemão) são bons exemplos de executores disso, pois a Alemanha é um país onde a predominância de ataque é do tipo rápido. No passado a Holanda de 1974 de Rinnus Michels e o Barcelona de Johann Cruyff dos anos 90 também faziam essa pressão após perderem a posse.

Este é o Borussia quando treinado por Jurgen Klopp. Pressão intensa e com muitos jogadores no portador rival, enquanto os outros jogadores do Real nem são levados em consideração.

 

2. Um jogador pressiona o portador da bola enquanto os outros cercam as linhas de passe próximas:

Já aqui, a preocupação é não só com o adversário que possui a bola, mas também com as opções de passe mais próximas. Caso o rival vença a pressão e consiga realizar um passe, as chances de errar são grandes, pois há pouca angulação, já que suas linhas de passe sofrem tentativa forte de anulação. Mas, caso esse passe seja correto a dinâmica continua, com o jogador que estava fechando a linha de passe daquele receptor passando a fazer pressão, e os que estão mais próximos continuam fechando as mesmas linhas de passe de antes, a equipe preserva energia, pois o deslocamento conjunto é menor do que no primeiro exemplo.

O objetivo principal não é retomar a posse de bola já no campo de ataque, mas sim fazer o rival dar um “chutão” por falta de opções de passe e pela pressão que está sofrendo. Essa tentativa de bola longa quase sempre acaba sendo perdida pela dupla de zaga, pois, na maioria das vezes, está em superioridade numérica. Após a recuperação da posse, a equipe reorganiza seu ataque desde trás. Equipes que realizam o tipo de ataque chamado posicional executam com frequência essa possibilidade de pressão pós perda, pois a lógica dessa maneira de atacar é trocar passes horizontais para distribuir adequadamente o time no campo de ataque, para então desequilibrar o rival. Portanto não é tão interessante roubar a bola já no campo de ataque logo de cara, já que a equipe ainda não está com suas peças devidamente distribuídas para atacar. O maior exemplo que há é o de Pep Guardiola. Todas as suas equipes (Barcelona, Bayern e Manchester City) possuem o mesmo tipo de pressão pós perda, é o maior exemplo de ataque posicional que há na atualidade.

 

A lógica deste tipo de pressão pós perda: Deixar o rival sem tempo ou opções de passe e forçar uma bola longa sem direção.





 

3. Um jogador pressiona o portador enquanto os outros fazem marcação individual em possíveis receptores:

 

 

Nesta maneira de pressionar após perder a bola, assim como na execução anterior, um jogador irá pressionar o adversário portador da bola, mas os companheiros mais próximos farão uma marcação individual em rivais que possam receber um passe ao invés de fecharem linhas de passe. Caso o rival tente dar um passe, corre o risco de errar pelo fato do novo receptor estar marcado de perto, mas caso o passe saia correto, novos encaixes individuais na marcação devem ocorrer. Fisicamente, exige mais que o segundo tipo e menos que o primeiro tipo de execução citados acima.

Aqui há um equilíbrio entre  os dois jeitos citados anteriormente de pressão pós perda, portanto há um equilíbrio entre os objetivos de forçar o rival a dar um “chutão” ou então de recuperar a bola logo no campo de ataque.

Equipes que possuem em sua forma de atacar um equilíbrio entre ataque rápido e posicional ou times que se defendem marcando por encaixes individuais, geralmente optam por esta maneira de pressionar, pois a lógica de marcar homem está inserida ao se defender. Portanto, optar por fechar linhas de passe durante a transição defensiva só confundiria os atletas, pois teriam que “mudar a chave” de fechar espaço e marcar homem com muita frequência, por isso acaba sendo mais fácil também fazer encaixes neste momento do jogo. Dois grandes exemplos são o Bayern, quando era treinado por Jupp Heynckes e as equipes treinadas por Marcelo Bielsa, ambos são adeptos das marcações por encaixes individuais.

Aqui há um equilíbrio entre forçar o rival a sair na bola longa ou recuperar a posse no próprio campo de ataque.

 

Pressão pós perda é apenas uma das maneiras que uma equipe pode optar por transitar do ataque para a defesa, porém quando se opta por executá-la, há a necessidade de identificar qual a dinâmica que será feita, levando em consideração o modelo de jogo da equipe e seu objetivo naquela partida.

 

Gostou?

Comente aqui embaixo. 

Siga nossa página nas redes sociais para ter conteúdos sobre futebol de uma maneira simples de entender, sem perder a complexidade do tema.

Instagram, Facebook e Twitter: @entrelinhasdojogo

Quer saber mais sobre Tática e Modelo de Jogo? Acesse nosso e-book gratuito:
https://conteudo.futebolinterativo.com.br/ebook-modelo-de-jogo-futebol