De forma histórica, o Flamengo, se tornou o primeiro time desde 1963 a ganhar Nacional e Libertadores no mesmo ano. Porém, os anos anteriores foram duros e difíceis. O clube viveu uma era de seca de títulos importantes, conquistando apenas o Brasileirão, em 2009, e a Copa do Brasil, em 2013. Este último na gestão de Eduardo Bandeira de Mello, um dos grandes responsáveis pelos frutos que estão sendo colhidos atualmente.

Você sabe como tudo isso aconteceu? Até 2012, ver o Flamengo entre as potências do futebol brasileiro era algo muito distante, mesmo com a maior torcida do Brasil ao seu lado. Mas com a chegada de Bandeira de Mello e sua equipe, o rubro-negro carioca saiu do status de clube mais endividado do país. Uma dívida de quase R$ 800 milhões, para se destacar em questões relacionadas à gestão.

No primeiro triênio da gestão Bandeira de Mello, o clube adotou uma política de reduzir custos e contratar jogadores que cabiam no orçamento. Com isso, conseguiu faturar a Copa do Brasil e consequentemente o retorno à Copa Libertadores da América. No entanto, quase caiu no Brasileirão. Após esse início de reestruturação e diminuição do endividamento, o clube começou a investir no futebol. Um dos marcos foi a contratação do atacante Paolo Guerrero, em 2015, e Diego Ribas, em 2016. Paralelo a isso, ocorreu a construção do Centro de Treinamento.

As categorias de base foram fortalecidas, revelando jogadores como Vinicius Jr., Lucas Paquetá, Felipe Vizeu e Jorge, cujo negócio com clubes europeus proporcionou mais investimento em um elenco ainda mais forte. Hoje, o clube carioca conta com jogadores consagrados, como Rafinha, Filipe Luís, Diego Alves e jovens atletas que buscam se firmar no cenário internacional, como Gabigol e Gerson.

Não suficientemente, o rubro-negro quebrou os recordes de arrecadação. Para você,  existem outros clubes que fazem um bom trabalho de gestão? O que falta para termos dirigentes com esse tipo de mentalidade?