Hoje no nosso Blog é dia de apresentar mais um Convidado Especial, se trata de Vanildo Neto, que atualmente é Treinador/Instrutor de Futsal no Colégio Marista São Luís, é Coordenador de Futsal/Treinador de Futsal do Sub-17, Sub-20 e Adulto do Sport Clube do Recife. Também é Treinador de Futsal Universitário (UNINASSAU) e Treinador de Futsal da Seleção Brasileira (CBFS) Sub-20. Vanildo nos contará sobre a temática da Estrutura de um Treino de Futsal, comentando sobre quais são os principais fatores a serem levados em conta na hora de montar uma Sessão de Treino.

Então vamos ao texto, boa leitura a todos!

Antes de iniciarmos a explanação do conteúdo, é importante falarmos que tudo que será passado nesse texto é um relato da minha experiência prática e que não é uma verdade absoluta, porém, no meu dia a dia essa maneira de organizar meus treinos atinge o que preciso melhorar nos aspectos do jogo.

A primeira coisa que observava na minha equipe era como ela se Organizava Sistematicamente, e isso é muito importante. Mas com o tempo percebi que vários outros fatores tinham grande importância na organização da minha equipe e que eu precisava dar importância a esses fatores.

Entre esses fatores, as Características dos Atletas para mim é primordial, pois se não me preocupo com seu histórico de vida (sócio afetivo) e com suas capacidades em relação ao jogo, não posso “tirar” o máximo do atleta. Então, devemos gerar um Ambiente de Treino que desenvolva as capacidades do atleta, com o objetivo de ensinar, da melhor maneira possível, a modalidade para ele e fazendo com que o mesmo se Adapte ao Contexto, resolvendo os problemas que vão se apresentar durante o jogo de uma maneira não linear.

Uma das coisas que mais me preocupo hoje quando vou Estruturar um Treino, é que as atividades sejam adaptadas ao Nível de Conhecimento de Jogo da minha equipe. Que eu não realize tarefas no dia a dia que sejam “fáceis” de serem realizadas ou difíceis demais, pois isso vai interferir diretamente na Motivação e Aprendizagem do aluno dentro do Processo de EAT (ensino, aprendizagem, treinamento).

Então nas atividades, começo a montar Estruturas de Treino que tenham relação direta com o nível de Estrutura Temporal do atleta e o que eu quero como Organização Macro do jogo. A intenção será montar atividades “simples”, porém que geram Padrões de Comportamento para o atleta que são benéficos para ele na resolução de problemas durante o jogo propriamente dito.

As atividades têm como características melhorar os níveis de jogo do atleta (individual, grupal e coletivo), não descaracterizando a lógica interna do jogo. Isto é, independente da atividade que eu quero propor, ela terá na sua estrutura:

- Cooperação

- Adversário

- Bola

- Terreno de Jogo

- Metas

- Regras

E independente de como eu manipulo essas variáveis do jogo na minha Sessão de Treino, não posso descaracterizar o mesmo, fazendo com que a Organização Coletiva da minha equipe “ajude” o atleta individualmente a Tomar Boas Decisões dentro jogo e as boas resoluções de problemas individuais no jogo fortaleçam a organização da minha equipe. 

A questão é: Como montar atividades sem perder essas características? Para mim, montando atividades com Intenções (comportamentos) relacionadas às referências espaciais do jogo. Entender que no ataque, por exemplo, a relação da bola está do meio para trás da metade da quadra ou do meio para frente da mesma, em relação à meta que finalizo, relacionando assim, os comportamentos dos atletas, diretamente com o constrangimento defensivo ativo ou passivo da equipe adversária.

Então o que treinamos como Comportamento Coletivo relacionado a onde está à bola, em relação a distância dela em referência ao meio da quadra e em relação à meta que protejo ou ataco, caracteriza como devo me Comportar em enfrentamento ao ataque ou defesa adversária. O Ritmo (mudança de velocidade) que os atletas vão imprimir dentro do jogo para manter-se organizados e, desorganizar o máximo de tempo possível à equipe adversária, passa por treinar e aprender dentro do contexto que é estimulado, as situações de jogo dentro do Espaço e Tempo inseridos.

Mais do que nunca, os problemas que a equipe adversária cria precisam ser transferidos de maneira densa (aumento de incidências) como Situações no Treino, para que se resolvam melhor no jogo (propenso). E é nossa Função como Treinador manipularmos o ambiente da melhor maneira possível para fazermos os atletas terem aquisição e fortalecimento das Situações Específicas e Importantes do jogo.

E aí você gostou desse assunto? Concorda com a ideia de ser Função do Treinador de Futsal manipular o ambiente da melhor forma possível a fim de proporcionar aos atletas elementos que os ajudem a Tomar Melhores Decisões na hora do jogo? Deixe aqui o seu comentário e não esqueça de entrar hoje mesmo na nossa lista de espera para o nosso próximo curso de Futsal! Entre na página https://futsal.futebolinterativo.com/  e faça a sua inscrição hoje mesmo!

Vanildo Neto é graduado em Educação Física pela Universidade de Pernambuco (UPE) e possui Especialidade em Treinamento Esportivo.

Quanto a sua experiência prática, atualmente é Treinador/Instrutor de Futsal no Colégio Marista São Luís, é Coordenador de Futsal/Treinador de Futsal do Sub-17, Sub-20 e Adulto do Sport Clube do Recife. Também é Treinador de Futsal Universitário (UNINASSAU) e Treinador de Futsal da Seleção Brasileira (CBFS) Sub-20.