A Coreia do Sul está, pela  9° vez seguida, desde a cisão entre as coreias, em uma Copa do Mundo, e é mais uma representante do continente asiático no torneio, ao lado de Irã, Tunísia, Austrália (que apesar de estar na Oceania, disputa as Eliminatórias Asiáticas) e Japão.

Para chegar à competição, passou por uma primeira fase cuja em um grupo com Laos, Líbano, Myanmar e Kuwait, em 8 jogos, sobrou: 8 vitórias, 27 gols a favor e NENHUM contra, totalizando 24 pontos. Na segunda fase, em um grupo mais acirrado, com Irã, Síria, Uzbequistão, China e Qatar, ficou com a segunda colocação ao lado do Irã, que ficou em primeiro, com isso carimbou a vaga para a Rússia.


Infelizmente, o grupo não é de se animar aos sul-coreanos. Vão encarar: a tetra campeã Alemanha, um México, que lutou bravamente até o final e caiu nas oitavas contra a Holanda no último mundial e uma cirúrgica Suécia. Contudo, para uma seleção que proporcionou momentos mágicos como um 4° lugar em 2002 ao eliminar Itália e Espanha, nada é impossível, e com a presença de Son Heung-Min, craque do Tottenham-ING, a nação mantém-se confiante em busca de mais uma zebra.


Para isso, além do atacante do Spurs, o técnico Shi Tae-Yong conta com o volante Ki Sung Yueng, do Swansea-ING, o meia Koo Jacheol, do FC Augsburg-ALE, e do lateral esquerdo Kim Jinsu do Jeonbuk Motors-COR, referências da seleção. A nota de pesar fica para o corte do promissor Kwon Chang Hoon, meio-campo do Dijon FCO-FRA e do experiente atacante Lee Keun Ho, do Ulsan Hyundai-COR, ambos por lesão.


Ademais, ao que parece, a equipe não achou o esquema tático adequado, no último jogo, uma derrota para a Polônia por 3x2, o esquema tático foi um 5-4-1, antes disso, em mais uma derrota desta vez por 2x1 e para a Irlanda do Norte, foi adotado o 4-3-3. Já em sua última vitoria, contra a Letônia, por 1x0, um 4-4-2. Mesmo assim, como diria o narrador Jorge Iggor, o futebol é um terreno fértil para sonhos. E você, acredita no sonho sul-coreano?